Búsqueda personalizada

Páginas

domingo, 6 de setembro de 2009

Sonhar que quer morrer

Olá boa noite...

Bom queria conta sobre um sonho q tenho a alguns anos...

Sonho com minha morte já tem um tempo, já a alguns anos..

Sempre desejei minha morte.. mas em meu sonho ela me apavora..

Meu sonho eh assim...

Estou em algum lugar ao qual ate hj tento descobri onde fica.. por algum motivo estou lah sentado com medo de um temporal q esta se formando.. corro para uma escadaria parece se a frente de um prédio mas não consigo sabe onde estou.. ai eh quando cai o raio em mim e naquele momento meu coração dispara eh como eu quisesse viver e aquela não fosse a hora certa de eu morre..

Como alguém q deseja tanto a morte pode em um sonho senti tanto medo dela...

Se pude me dizer q que acha ficarei grato. Obrigado"

R.


Olá R.,

Tenho pena de não ter lido sua mensagem antes. Tenho a caixa de correio cheia de mensagens de ajuda, e vou respondendo por ordem de chegada. Finalmente cheguei a você.

Seu sonho vem a partir do seu verdadeiro "eu". Na verdade você não quer morrer. O que queria era estar em outro mundo. Um mundo feito à sua medida. E por esta razão, em vida, pensa em matar-se e a seguir, dormindo sente pavor de tal idéia. Tome cuidado para não estar a pensar por outro espírito que não seja o seu. Há possibilidades de ser médium ouvinte e não estar a ser bem acompanhado. Tenha certeza que o seu anjo da guarda não lhe larga a mão, mas você não o ouve. Por este motivo ele se comunica contigo através de sonhos. O raio, pode ser uma chamada de atenção muito grave.

Se quiser, estou disposta a conversar contigo e lhe tirar algumas dúvidas.
Segure o barco, R.
A vida é bela se você quiser...

Gosto de ti, és sincero!

Um grande abraço,
Joice Worm

4 comentários:

Mateus disse...

Minha amiga teve este sonho esta noite: Primeiro sonhou que estava num apto e este era de sua irmã em Campinas. Mas ela tinha uma reunião de faculdade (algo já concluído há quatro anos) p/ ir e esquecera a folha donde tinha anotado o endereço da casa da colega donde se reuniriam. Ela pensou de ligar p/ sua mãe a fim desta verificar-lhe o endereço, mas no apto ainda não tinha telefone. Sua sensação era um pouco desesperadora de ter urgência por algo e não poder fazer nada. Uma vez num local donde caracterizou como uma escola, perguntou a outra colega se esta tinha o endereço que ela queria, mas esta nem lhe deu importância ao assunto. ela comentou com outra jovem que dessa vez fora ela quem faltara a uma reunião e isso soou péssimo, pois nunca lhe acontecera. Nisso uma professora quis entender a história e também demonstrou ficar abismada com a situação dela, pois conhecia a dedicada aluna que ela era. Foi uma situação angustiante. Em seqüência foram p/ uma aula de tênis da qual ela queria muito participar, mas estava fazendo algumas anotações atrasadas e nem teve tempo de participar da aula, mas houvera gostado muito e os demais alunos também. Parece que era uma modalidade esportiva nova que o colégio ou faculdade havia adotado. No que a aula de tênis terminou, ela juntou suas folhas, mas estas eram tantas que estava difícil ordenar e caber tudo dentro do fichário. Em seqüência ela retornou p/ o apto de sua irmã e se viu brincando com sua sobrinha. Era um jogo de figurinhas donde cada uma tinha que imitar algo e descobrir o par da imitação. Mas o jogo teve de ser interrompido, pois chegara hora de dar banho em sua sobrinha e esta só aceitava ela p/ tal. O apto nesse momento se fez enorme e havia inúmeros banheiros. Ela escolheu um, ligou o chuveiro e, no que começou a dar banho na menina, esta começou a encolher até se transformar num bebê assustado. ela abraçou aquela criança bebê que cabia sentada em sua mão e tentou lhe tirar o medo. Nisso a pequena começou a se transformar numa estátua que, com a água, imediatamente começou a enferrujar e a sumir até ficar uma peça bem pequena, com partes soltas e desajeitadas. ela enxugou a peça, colocou-a na mesa e ficou imaginando como contaria a todos que sua sobrinha havia se transformado naquilo. Ninguém ia acreditar e, se acreditassem, no mínimo iam lhe castigar pelo ocorrido.
Logo depois ela já estava numa casa e esta era linda, muito agradável, pintada de um rosa muito mimoso e suave, toda enfeitada com vasos de flores e bastante arejada. Essa casa também era enorme como se fosse três em uma. ela não soube dizer de quem era a casa, mas a sentia como se fosse sua também e disse enfaticamente que não era a primeira vez que sonhava estando nela. Em verdade uma parte da casa parecia ser sua moradia e na outra era sua irmã quem morava. Mas de toda forma havia mais gente residindo ali que ela não soube dizer ao certo quem era. Talvez fosse a família de seu esposo, o qual sentiu ser o dono de todo o local. Obviamente um esposo encontrado apenas dentro do sonho, já que ela não é casada. ela se viu caminhando até chegar num dos recantos dessa casa, o qual parecia uma varanda lateral, quando suas primas chegaram. Como ela estava suada (e não soube dizer porq estava suada) elas passaram e, embora tenham dito algo, não a cumprimentaram com um beijo, como costumam fazer. Havia alguém com ela naquele recanto e parecia ser sua avó, mas ao mesmo tempo não era realmente sua avó. ela limpou o suor com as mãos, mas suas primas não retornaram p/ lhe beijar e tal situação lhe faz sentir rejeitada e inferior, embora tivesse compreensão do motivo. o que pode significar?

Joice Worm disse...

Olá Mateus,
Esta é uma descrição exaustiva de um sonho em uma noite conturbada de aflições e angustias. A entrada e saída de casa e a diferença de tamanho da mesma, significa alguma instabilidade pessoal. Vem de alguém que não sabe ainda o que quer.
A transformação da menina em bebé e do bebé em objecto, demonstra que a sua amiga procura uma justificação para tudo e não encontra a explicação desejada.
Em resumo, todo o sonho vem de uma necessidade muito grande de alguém que deveria questionar menos os pormenores da vida.
Viver sem questionar, lhe trará sonhos mais tranquilos.
Um abraço grande para os dois.
Joice Worm

Anônimo disse...

Ola Joice

Talvez seja isso pois, ja tentei comete suicídio mas por algum milagre sobrevivi...
Sofri um acidente de carro q até hj não sei como sobrevivi..
Hoje já não penso mais em cometer suicídio ou em morrer..
mas meus sonhos permanecem. Parece q realmente irá acontecer..
O raio então será algo muito sério em minha vida..
fico imaginando o q seria...

Penso de mais em minha morte.. Pois seria a maneira mais fácil de resolve tudo..
Mas sei q tbm eh a mais covarde entre todas minhas opções...

Muito Obrigado por me ajudar....

Abraço
R.

Joice Worm disse...

Olá R.,

Fico daqui imaginando... Já li uns livros espíritas muito interessantes que afirma que nós é que pedimos para nascer. E quando li você escrevendo que só morrendo é que acabava com tudo. Achei graça...
Sabia que quando a gente pede para nascer, escolhemos a casa, família e até nível social? É mole?...
Nos enchemos de coragem. Prometemos que vamos superar a prova e depois, aqui em baixo, "Hah!". Além de não lembrarmos de nada que prometemos, ainda por cima, roubamos a oportunidade de outros progredirem com a nossa existência.

Acho que devia brincar de imaginar a situação contrária e tentar se comunicar através dos seus sonhos com o seu próprio espírito. Tenho certeza que a cada sonho seu enviado para mim, nós dois podíamos descobrir umas coisas.

Topa?
Beijokas,

Joice Worm